Meu nome:

Minha foto
Um dia, resolvi fazer a brincadeira de ir revendo a vida desde que nasci, e fui contando assim, livremente, no ouvido de quem mais amo, a trajetória toda. Eles amavam em silêncio, a minha vida em capítulos. Com meus filhos, tenho a mais bela história de amor da minha vida. É uma mágica em que vamos tecendo um laço cada vez mais apertado. Eles dão sentido a minha vida. Eu dou sentido a vida deles. E então: somos felizes assim, um sendo a alma da vida do outro. Existem as diferenças, mas elas furam todas as ondas. Não interessa o que difere, interessa o que nos une e, juntos, vamos inteiros vida afora.

AFETO COM AÇÚCAR E CANELA

AFETO COM AÇÚCAR E CANELA
*Se alguma foto ou matéria publicada aqui no blog estiver em desacordo com os direitos de propriedade, por favor me envie um e-mail que farei a devida correção ou a retirarei do blog, fica a seu critério.*

ara onde quer que vá, vá de todo coração. (Confúcio)

"Olá, Diga Bom Dia com Alegria, Boa Tarde, sem Alarde, Boa Noite, sem Açoite ! E Viva a Vida, com Alegria e Fantasia..." (Lenine)

“As Pessoas Mais Felizes:

São Aquelas Que Não Têm

Nenhuma Razão Específica

Para Serem Felizes...

Exceto Pelo Fato Que Elas São.”


Para onde quer que vá, vá de todo coração. (Confúcio)









quarta-feira, 22 de junho de 2011

Vamos esquentar a fogueira em nossos corações?

O que vamos fazer neste inverno? Hibernar como os ursos ou fazer como os passáros que migram para regiões mais quentes?
Com as baixas temperaturas da vontade de acender uma fogueira no coração e juntar os amigos próximos e distantes.. Uma fogueira para esquentar os sonhos e as pessoas. Esse fogo clama por vinho, caldo quente e uma conversa amena, mais chegada ao silêncio. É mágico quando as estrelas piscam misteriosamente para os habitantes da casa, como se fossem cúmplices do círculo sagrado que se forma em volta da fogueira. Vamos fazer um estoque de dons neste inverno, deixar pra trás os verões da insanidade, as tolices, a chatice de todo dia. Vamos rir até o coração dançar, se escancarar e derreter todo o gelo à nossa volta?


"a distância arde...o fogo é união."

terça-feira, 21 de junho de 2011

Coração Selvagem

Sempre que algumas questões vêm à tona me lembro da música "Coração selvagem", na qual Belchior canta algumas frases que podem não ser verdades absolutas, mas que são verdades perfeitas para vários momentos da vida...Assim: "Não quero o que a cabeça pensa, eu quero o que a alma deseja...tenho pressa de viver", e, acima de tudo, "meu bem, talvez você possa compreender esse jeito de deixar sempre de lado a certeza e arriscar tudo de novo com paixão... andar o caminho errado pela simples alegria de ser", (gente, Belchior é tudo de bom)não poderia ainda de citar este outro trecho:
"Meu bem, mas quando a vida nos violentar
Pediremos ao bom Deus que nos ajude
Falaremos para a vida: "Vida, pisa devagar..."

Acho que é isso...fazer combinações "com a vida". *Sempre sem medo dos erros (poucos(?) e divertidos!) e muito feliz com as descobertas.*

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Palavras


A palavra circula como circulam os pensamentos. Porém, enquanto os pensamentos podem muitas vezes atuar ocultamente, a palavra não; e se cada um, recorrendo à memória, reconstituindo sua vida, reparasse quanta energia desperdiçou, quantas palavras verteu inútil e até prejudicialmente, compreenderá então que, suas palavras devem ter sempre a aprovação da conciência.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Coração

Bate coração. Acorda para o dia e te resguarda.

Bate coração.
Mantém o ritmo mesmo que a vida vez por outra perca o compasso.

Bate coração. Alegre ou triste.
E toma conta do peito que te guarda.

Bate coração...Bate forte

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Dia 12 de Junho de 2011 (?)

Você que está esquecida, você que está preocupada. Você que parece perdida...Abra agora a sua agenda. Esqueça qualquer "tarefa importante", deixe de lado a preguiça: pegue um lápis bem apontado, algo precisa ser anotado...
Domingo é um dia qualquer, dia do homem, dia da mulher...ops! mas domingo também é especial, é um dia essencial!

Atenção, muita atenção para suas vidas, minhas senhoras, meus senhores, pois nesse domingo deverão estar acompanhados. Afinal Domingo é dia diferente. Dia de estar com gente, dia de estar mimado.

Domingo é dia dos Namorados!

Para bacanas e coitados,certinhas e danados, solteiras e casados, viúvas e desquitados, lésbicas e viados.

Domingo é dia dos Namorados!

Ruivas, loiras e morenas, grandes e pequenas, gordinhas e magricelas, vadias e donzelas, profissinais e amoadores, alunos e professores, clientes e vendedores, policiais e bandidos, amantes e maridos...

Domingo é dia dos Namorados!

Dia de mensagens, de besteiras. Dia de estar contente, de se dar presente. Dia de muitas coxas. Dia de manchas roxas. Dia para ser embalado. Domingo precisa ser lembrado.

Domingo é dia dos Namorados!

Não esqueça:

Domingo é dia dos Namorados!

E um beijo (um abraço?) no mínimo, ora!

Carlos D.Andrade? *Te amo! (um tantão...)*

"Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia. Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas namorado mesmo é muito difícil. Namorado não precisa ser o mais bonito, mas ser aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio, e quase desmaia pedindo proteção.
A proteção dele não precisa ser parruda ou bandoleira:
basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.
Quem não tem namorado não é quem não tem amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes,
dois paqueras, um envolvimento, dois amantes e um esposo; mesmo assim pode não ter nenhum namorado. Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas,
medo do pai, sanduíche da padaria ou drible no trabalho.
Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar lagartixa e quem ama sem alegria.

Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade, ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de curar.

Não tem namorado quem não sabe dar o valor de mãos dadas, de carinho escondido na hora que passa o filme, da flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque, lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada, de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia, ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo, tapete mágico ou foguete interplanetário.

Não tem namorado quem não gosta de dormir, fazer sesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele;
abobalhados de alegria pela lucidez do amor.

Não tem namorado quem não redescobre a criança e a do amado e vai com ela a parques, fliperamas, beira d’água, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro.

Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir; quem curte sem aprofundar. Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia do dia de sol em plena praia cheia de rivais.

Não tem namorado quem ama sem se dedicar, quem namora sem brincar, quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele. Não tem namorado que confunde solidão com ficar sozinho e em paz.
Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo
e quem tem medo de ser afetivo.

Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200Kg de grilos e de medos. Ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenção de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada.
Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio.

Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e,
de repente, parecer que faz sentido."

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Quantos Sorrisos Você Tem?



Por que a gente conta o tempo em anos?

Por que não em luas como antigamente? ou em "sóis" que a gente viu nascer?
Abraços que a gente deu. Lugares que conheceu.

Sorrisos, Talvez.

sábado, 4 de junho de 2011

Receita: (você tem fome de quê?)

Acho que (todos nós) dedicamos cada vez menos tempo aos pequenos grandes prazeres da vida, os singelos, os cotidianos. Um grande prazer que existe aos meus olhos e ao meu coração é a cumplicidade de um casal.

Uma cama repartida, os beijos da saliva que se conhece, o mesmo cheiro, as curvas as quais se deve gratidão, as fotografias, as mensagens, os recados, as broncs, as brigas, as separações, as grandes reuniões!

A partilha de um comentário imbecil, de um prato de comida, de um copo de vinho, de uma colher de remédio; a falta de vergonha,o excesso de intimidade, os segredos, os conchavos, a maldade, os votos, os bichos, os debates, as plants, o saco cheio, o saco de feijão, pastores, padres, orixás deuses, o absurdo, a moral, a graça, a piada, os valores, os dinheiros, um café com leite, um pão com manteiga, uma ração que seja, um arrepio, uma paulada...

Criações pelo meio do caminho, ciúmes, viagens, subornos, esperanças e expectativas, a mão na testa quando se vomita, músicas, danças, foras, finjimentos, beliscões, mordidas e tijolos acumulados, a riqueza, a miséria, um brinde, um jogo, um fogo, o calor no inverno, o frescor no verão, um lugar comum, a organização da mente pertubada, o bolo, os rolos, as lasanhas, as vergonhas, os pontos fracos, a admiração, o respeito...

Enfim, tudo que faz da vida da gente uma estrada muito melhor.

Continuem vivos.