Meu nome:

Minha foto
Um dia, resolvi fazer a brincadeira de ir revendo a vida desde que nasci, e fui contando assim, livremente, no ouvido de quem mais amo, a trajetória toda. Eles amavam em silêncio, a minha vida em capítulos. Com meus filhos, tenho a mais bela história de amor da minha vida. É uma mágica em que vamos tecendo um laço cada vez mais apertado. Eles dão sentido a minha vida. Eu dou sentido a vida deles. E então: somos felizes assim, um sendo a alma da vida do outro. Existem as diferenças, mas elas furam todas as ondas. Não interessa o que difere, interessa o que nos une e, juntos, vamos inteiros vida afora.

AFETO COM AÇÚCAR E CANELA

AFETO COM AÇÚCAR E CANELA
*Se alguma foto ou matéria publicada aqui no blog estiver em desacordo com os direitos de propriedade, por favor me envie um e-mail que farei a devida correção ou a retirarei do blog, fica a seu critério.*

ara onde quer que vá, vá de todo coração. (Confúcio)

"Olá, Diga Bom Dia com Alegria, Boa Tarde, sem Alarde, Boa Noite, sem Açoite ! E Viva a Vida, com Alegria e Fantasia..." (Lenine)

“As Pessoas Mais Felizes:

São Aquelas Que Não Têm

Nenhuma Razão Específica

Para Serem Felizes...

Exceto Pelo Fato Que Elas São.”


Para onde quer que vá, vá de todo coração. (Confúcio)









quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Cheiros...


Existem cheiros inesqueciveis. Cada pessoa tem seu predileto. E basta uma pequena lembrança pra que tudo volte a temperatura do momento...a felicidade ou a tristeza que sentia, as imagens de quem estava perto, tudo. Tudo. Cheiros podem ser alegres ou tristes. Era muito bom quando eu entrava em casa depois da aula, e sentia o cheiro do refogado - alho,cebola,tomate - para fazer o picadinho ou a carne de panela. Quantos segundos eu levro pra atravessar o tempo e voltar aos meus 11 anos?

Quando ia passar as férias na fazenda dos tios...quantos aromas inesqueciveis!...o do capim, o da terra molhada depois da chuva, o estábulo onde ia bem cedinho tomar o leite tirado da vaca, ainda morno, numa canequinha de alumínio. E o cheiro da mexerica? aquela pobrinha, modesta, de casca fina, que deixava a mão cheirando durante três dias. Esse é um cheiro muito alegre. O cheiro do bolo saindo do forno é pra sempre, assim como também o cheiro da calda de açucar que minha mãe fazia pra jogar no arroz-doce e um detalhe precioso: naquele tempo por mais que se comesse não se engordava, e em cima da mesa sempre havia um vidro de fortificante pra abrir o apetite (Biotônicoooo Fontoura!).... Que felicidade ter tido uma infância assim.

Mas existem outros aromas não ligados ao paladar e também inesqueciveis...O cheiro do mar quando ia chegando em Santos...

E alguém já teve uma tia-avó que morava numa casa bem arrumada, e que o assoalho era encerado toda semana? O brilho era dado a mão, com uma escova de cabo alto como uma vassoura, e era chegar e ouvir: "Cuidado para não escorregar". Que cheiro limpo, honesto, cheiro de gente direita. Será que isso ainda existe?

Mas tem cheiro que só as mulheres conhecem. É o que elas sentem quando estão enxugando seus bebês depois do banho. É preciso que não haja uma só pessoa por perto num raio de 200 metros para não haver interferência de qualquer ordem. Sem nenhuma presença estranha (nem mesmo a do pai), mãe e filho poderão dizer bobagens e rir de coisas que só eles vão entender. Depois do talco, a mãe vai botar o nariz no pescoço de sua cria e cheirar com todos os seus sentidos. No princípio timidamente, mas cada vez mais forte, até quase arrebentar os pulmões de tanto amor. Na hora a gente não sabe, mas um dia vai saber: não existe nada igual a esse cheiro nem a esse momento, e nunca vai haver um melhor.
Porque esse é o cheiro da Vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário